quinta-feira, 8 de março de 2012

8 de março - Dia Internacional da Mulher

As mulheres que me desculpem , mas esse não é um texto daqueles que nos parabenizam pelo Dia Internacional da Mulhes. É claro que merecemos todos os elogios do mundo por tantos e vários motivos, mas precisamos tb refletir sobre nossas conquistas e perdas, afinal para todo bônus tem um ônus.

Ainda não entendi muito bem, no decorrer dos meus 38 anos, o que a mulher ganhou exatamente com tanta independência.  

A luta pelos direitos iguais é válida no seu sentido mais amplo. As mulheres merecem direitos iguais como qualquer ser humano conforme reza a constituição. Merece não ser discriminada da mesma forma que os negros, loiras, gordas e portadores de necessidades especiais não merecem. Não acredito nesse excesso de reivindicação pela igualdade entre homens e mulheres. Nós usamos batom e salto agulha, os homens não se depilam ( ou não se depilavam...rs*) e jamais vão usar batom e salto agulha, moral simples da historia: Jamais seremos iguais. As questões sociais vão muito além do gênero.

O homem foi criado para ser o provedor, mantenedor, e a mulheres para auxiliá-lo, a partir do momento que invertemos os valores, somos sobrecarregadas e responsáveis por "issos" a mais , enquanto o homem continua sem abrir mão do seu futebol e sua cerveja (além das "devassas") na sua hora de lazer. Então não seria melhor cada um assumir o seu real papel ?

Na Europa e em outros países de primeiro mundo, o governo investe em mesada, para que as mulheres se disponham a ter filhos, ou isso, ou sua população se estinguirá em alguns anos. Onde estão as mulheres mães, educadoras, sábias ( não somente inteligentes), femininas e não feministas ?? Mulheres que investem na sua carreira enquanto ser humano e que travam uma batalha diária consigo mesma para não serem esmagadas pela pressão do mundo moderno...

Seria tão ruim assim ocuparmos o nosso tempo com decoração e culinária, sim, porque se vcs me disserem que essa é uma visão muito romântica da dona de casa, mulheres executivas e com $ para babás tb é uma visão romântica e da minoria das mulheres , uma vez que a massa é obrigada a dar conta do  trabalho, casa , marido, filhos e delas  mesmas, além de dividir as contas ( isso quando não paga todas )... Se eu fosse rica, adoraria ser feminista, mas como não é o caso ( infelizmente), adoraria ficar em casa educando filhos ( ou não) , bordando, tricotando, lavando, passando, cozinhando, passeando e me cuidando. Talvez trabalhando única e exclusivamente para o próprio sustento.

Adoraria não ter que dividir a conta do restaurante ou do cinema e ainda abrirem a porta do carro...

Adoraria poder ficar de repouso nos dias de TPM e passar pela gestação e pelo parto como sendo algo sagrado.

Adoraria entrar no ônibus e ter o lugar cedido por um homem, algo impossível nos dias de hj, já que chegamos ao cúmulo de ser necessário vagão exclusivo p/ mulheres do metrô para fujir do desreipeito. Cadê os direitos iguais?

Contudo, parabéns a todas as mulheres capazes de suportar suas escolhas em pleno séc. XXI !!!!